GSP Explica: verdades e mentiras sobre a covid-19

GSP Explica: verdades e mentiras sobre a covid-19

Quase seis meses após a detecção do primeiro caso de covid-19, muita coisa tem sido dita a respeito. Entre verdades e mentiras, muita confusão tem sido criada, gerando desinformação e, consequentemente, desespero. Estudo realizado pelo Instituto Reuters e pela Universidade de Oxford, em abril, apontou que 59% das postagens do Twitter sobre coronavírus foram classificadas como falsas; no YouTube, 27%; e no Facebook, 24% do conteúdo sobre a doença e a pandemia foi identificado como notícia falsa. Para minimizar esse desencontro de informações, pegamos as principais dúvidas de nossos leitores e fizemos um resumo para que possamos lidar com mais calma e assertividade.

* Transmissão:

– Direta: por via respiratória, através de gotículas lançadas no ar.

– Indireta: contato com objeto contaminado. Porém pesquisas publicadas em maio já evidenciaram que a contaminação por esta via não é tão fácil quanto se pensava.

– Indireta (em estudo, com possibilidade, mas sem evidência de contaminação): fecal-oral. Alguns centros de pesquisa já encontraram o vírus com potencial de infecção nas fezes, sendo, portanto, uma possível via de infecção, embora não tenhamos nenhum caso comprovado de contaminação por essa via.

* Sintomas

– Dor de cabeça, dor de garganta, dor no corpo, dor abdominal, náusea, fraqueza, febre, tosse seca ou produtiva, perda de olfato e paladar e, em casos mais severos, falta de ar. Vale lembrar que a presença de um desses sintomas isoladamente não é indicativo de covid-19. É preciso estar atento a vários desses sintomas associados.

*Prevenção

– Uso de máscara: essencial em qualquer circunstância, visto que a transmissão direta e mais importante é por via respiratória.

– Distanciamento: pelo menos 1,5 m entre pessoas, combinado com o uso da máscara.

– Limpeza e higiene: uso de água e sabão comum (não precisa ser antibacteriano), pois qualquer sabão é capaz de quebrar o envelope viral que protege o vírus.

– Atividade física com frequência: estimula o sistema imunológico, o que aumenta a proteção do corpo contra patógenos.

* Quando buscar atendimento médico:

– Assim que notar sintomas associados e que sugerem infecção pelo novo coronavírus. Inicialmente foi indicado procurar o médico apenas em casos graves, mas já está provado que quanto antes iniciar o tratamento, menor a chance de aumentar a gravidade da doença e maior a probabilidade de cura.

* Fake News – o que NÃO se deve acreditar e nem propagar:

– Beber água quente não elimina o vírus, apenas te faz ir mais ao banheiro. O mesmo vale para vinagre, suco de cana ou gengibre.

– Remédio de piolho não mata o vírus. Há diversos estudos em andamento, mas nenhum deles comprova a eficácia na prevenção ou eliminação do vírus.

– Beber café não previne o coronavírus.

Está em dúvida sobre a veracidade de alguma notícia? Envie inbox para o Grupo Saúde e Prevenção que nossos profissionais irão responder o quanto antes.